[Resenha] As Garotas - Emma Cline

by - 9:39 PM

Aquilo fazia parte de ser garota: você se resignava a qualquer resposta que obtivesse. Se ficasse irritada, era uma louca, e se não reagisse, era uma puta. A única coisa que podia fazer era sorrir do canto onde tinha sido encurralada. Participar da piada mesmo que a piada fosse você.


Demorei para escrever minhas impressões sobre esse livro porque nele temos contato com uma história que já ouvimos em algum lugar, mas que é contada sob outro ponto de vista e com eventos que poderiam ter acontecido, mas que nunca saberemos ao certo. As Garotas precisou desse tempo de digestão, e finalmente consigo expressar tudo o que senti.

O livro realmente nos conta uma história conhecida: a de um grupo de garotas que vivem em um rancho praticando pequenos delitos sob o manto misterioso de um homem mais velho e totalmente sedutor, que mantém relações com todas elas. Tudo sob uma atmosfera de liberdade típica dos Estados Unidos dos anos 60. Os pequenos delitos evoluem e, em determinado momento, os moradores daquele rancho acabam envolvidos em assassinatos brutais.

Essa poderia ser a história da seita de Charles Manson e seus seguidores, mas Emma Cline transformou a narrativa de uma forma que o foco não seja essa relação, e sim, a personalidade e o fascínio de cada uma das garotas que se encantaram com a promessa de um mundo livre e libertário naquele rancho.


Evie Boyd é uma dessas adolescentes que cai de paraquedas no grupo. Se antes vivia sua vida pacata em uma cidade pequena da Califórnia tendo uma única amiga com quem contar, o momento crucial é quando, mesmo que à distância, avista as tais garotas. A principal delas é Suzanne. E, diferente do que aconteceu com todas as outras que se juntaram à seita, é ela quem atrai o fascínio de Evie, e não o líder do bando, Russell.

Após uma briga com a mãe, Evie se junta ao grupo e passa a viver no rancho utilizando roupas compartilhadas com as outras meninas, participando das atividades, das festas regadas a drogas ao redor da fogueira e, também, servindo aos caprichos sexuais de Russell. Tudo em nome da liberdade que lhe foi podada pela mãe.

A narrativa é toda em primeira pessoa mesclando o passado e o presente enquanto Evie, já adulta, revisita os momentos em que viveu no rancho. Emma fez um excelente trabalho de construção de cada personagem, principalmente as garotas de Russell. Cada uma tem seu motivo para estar ali, e ao final do livro já nos sentimos tão próximas a cada uma delas, que mesmo as mais cruéis ganham nossa empatia e nosso apoio. 

O ponto crucial que salvou esse livro, na minha opinião, foi Suzanne. A história não é das mais originais - dezenas de livros já foram escritos baseados no caso Tate-LaBianca e na seita de Charles Manson - porém, em As Garotas o foco principal são, realmente, elas. É a forma como Evie só se juntou ao grupo pela admiração que tinha por Suzanne, que por vezes se confundia entre inspiração e amor romântico. Evie não estava ali por Russell. Estava ali por Suzanne.

E a escrita de Emma Cline, tão detalhista e preciosista com cada ponto da personalidade, dos gestos e descrição de cada personagem, realmente nos transporta para a atmosfera de liberdade dos anos 60. É impossível terminar esse livro enxergando até mesmo os membros da Família Manson da mesma forma. De fato, diversas entrevistas, livros e documentários já descreveram cada um deles. Mas qual seria a verdadeira natureza do que os fez se juntar à seita?

Infos:
Título original: The Girls
Autora: CLINE, Emma
Editora: Intrínseca
ISBN:9788551001356
332 páginas 

Livro cedido para resenha pela editora.
Para comprar: Amazon | Submarino
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá) 

You May Also Like

1 comentários

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^