21 de setembro de 2016

[Resenha] Garoto 21 - Matthew Quick

Acredito de verdade que as noites em que meu pai me vê jogar basquete são as melhores da vida dele. Essa é uma das razões que me fazem amar tanto o basquete: a chance de fazer meu pai feliz.

Garoto 21 foi um teste pra mim: li Perdão, Leonard Peacock do mesmo autor no começo do ano e me decepcionei bastante. Mas depois de tantas críticas positivas a respeito desse novo livro que resolvi me arriscar novamente - e foi a melhor coisa que eu poderia ter feito!

Finley é um adolescente que vive pelo basquete. Morando apenas com o pai e o avô cadeirante em um bairro dominado pela máfia irlandesa e pelo tráfico e drogas e sendo um dos únicos garotos brancos da escola, ele encontra seu refúgio nas quadras e em sua namorada e melhor amiga, Erin, que conheceu ainda criança por conta do esporte.

Apesar de ser calado e um tanto quanto anti-social, é em Finley que o treinador do time de basquete do colégio confia a difícil tarefa de fazer companhia a um novo aluno. Russell foi um dos astros do basquete no ensino médio, muito cotado por olheiros de diversas universidades, mas que depois do assassinato de seus pais acabou se fechando em seu próprio mundo e deixando o basquete de lado. Agora ele se identifica como Garoto 21, um extraterrestre que veio ao planeta para estudar as emoções dos seres humanos.

A tarefa de Finley é não apenas mostrar a Russ como as coisas funcionam por lá, mas ser seu ombro amigo e convencê-lo a voltar pro basquete. Porém, o Garoto 21 e ele jogam não só com o mesmo número no uniforme, mas também na mesma posição, o que ameaça a permanência de Finley na temporada. Além disso, o treinador acredita que, de alguma forma, os dois podem se ajudar através de suas próprias experiências de vida.

É a partir daí que, com algumas dificuldades, é claro, a amizade entre os garotos vai se estruturando e se consolidando, a ponto de conseguir fazer com que Finley consiga não só encarar o seu passado também doloroso, mas também se abrir pela primeira vez. Ao mesmo tempo, Russell vai deixando sua armadura se desfazer aos poucos, voltando a ser quem ele era antes de sua vida ser destruída.


Grande parte do livro é focada no basquete. Assim como no início o esporte é a salvação de Finley, aos poucos passa também a ser um alicerce para que Russell se reencontre. Apesar de muito importante para a história e para os personagens, o esporte não se torna o foco principal do livro e nem torna a leitura cansativa para quem não entende ou não gosta do assunto, sendo apenas mais um detalhe da vida dos protagonistas, assim como a obsessão de Russ pelo espaço.

O livro acaba tomando um rumo bastante inesperado e, apesar de ter gostado muito desse plot, achei que faltou uma melhor construção para que esses acontecimentos não parecessem tão jogados. Talvez isso tenha a ver com o estilo de livro que estou acostumada, que quando trata de um mistério o acentua a todo momento, mas acredito que os segredos e o passado dos personagens poderiam ter sido mais explorados, assim como alguns acontecimentos do presente poderiam ter sido melhor explicados. Foi por esse motivo que atribuí a nota 4 ao livo no Skoob.

De qualquer forma, a narrativa do autor é bastante fluida e proporciona uma leitura rápida e agradável. Apesar disso, trata de assuntos sérios e me deixou com o coração apertado ao final, principalmente pelas lições de amizade e esperança que o livro conseguiu transmitir. Fica a indicação! (E Matthew Quick está oficialmente redimido no meu coração ♥)
Infos:
Título original: Boy 21
Autor: QUICK, Matthew
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580579093
270 páginas
Livro cedido para resenha pela editora.
Para comprar: Submarino | Americanas | Amazon
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^