2 de junho de 2016

[Resenha] Desventuras em série, vol. 8: O Hospital Hostil - Lemony Snicket

Esta é uma história sobre Violet, Klaus e Sunny Baudelaire, e como eles descobriram na Biblioteca de Registros do Hospital Heimlich uma coisa que mudou as suas vidas para sempre, e ainda me deixa agoniado sempre que fico sozinho a noite.

O Hospital Hostil é o oitavo volume de Desventuras em Série. Para ler as resenhas dos livros anteriores, clique aqui.

Depois de serem presos pelo suposto assassinato de Conde Olaf e conseguirem escapar da prisão, o novo desafio dos Baudelaire é encontrar um bom lugar para se esconderem. Toda a cidade está empenhada em encontrá-los, e os jornais locais já estampam suas capas com seus nomes e fotografias. Em sua fuga, os irmãos chegam até o Armazém Última Chance - uma lojinha bastante isolada que ainda não recebeu os jornais diários e, por isso, ainda não sabe que os irmãos são supostos assassinos.

Porém, a sorte nunca está ao lado dos Baudelaire, e nos poucos minutos que ficaram por lá com a intenção de enviar um telegrama ao sr. Poe, acabaram sendo reconhecidos pelo entregador de jornais e precisando novamente fugir. Mas pra onde? O Armazém ficava, literalmente, no meio do nada. É nesse momento que entram em cena os Combatentes pela Saúde do Cidadão (C.S.C).

Os C.S.C são um grupo de voluntários que viajam pelo país trabalhando em hospitais, mais especificamente pregando que só a alegria tem a capacidade de curar doenças. Com a van parada em frente ao Armazém, os irmãos não enxergam outra saída se não juntarem-se aos Combatentes, que por sorte, não acreditam nas notícias publicadas pelo principal jornal da cidade - O Punodor Diário - e por isso não os reconhecem.

O próximo destino dos Combatentes é o Hospital Heimlich, uma construção um tanto quanto esquisita, metade terminada e metade abandonada. Chegando lá as crianças encontram o trabalho perfeito para alguém que precisa muito se esconder: a Biblioteca de Registros. O trabalho dos irmãos por lá é auxiliar o trabalho de Hal, o guardião da biblioteca. O local possui muitos segredos e mistérios, e Hal os proíbe de ter acesso a qualquer uma das pastas do arquivo. 

Acontece que durante mais uma inspeção nos fragmentos das anotações dos Quagmire - que ainda não foram decifradas -, Violet, Klaus e Sunny descobrem que uma das pastas da Biblioteca pode conter informações importantes sobre o que aconteceu com seus pais. Após revirarem todos os arquivos que poderiam conter alguma pista, descobrem na pasta dedicada a Lemony Snicket todo um arquivo sobre a morte dos pais. Porém, a última e mais importante página do arquivo está sumida.

Não bastasse toda a aflição por não saber o que a temida página 13 revelaria, o principal medo dos irmãos se torna realidade: Conde Olaf descobre novamente o esconderijo dos irmãos. Apesar de Klaus e Sunny conseguirem escapar, a irmã mais velha é sequestrada pelo vilão. Daí pra frente a missão dos dois é encontrar Violet com vida e convencer a todo mundo de que são inocentes do crime divulgado pelos jornais.



Esse é o primeiro livro da série em que os Baudelaire passam a viver por si mesmos, sem nenhum tutor do mal. Isso dá uma nova atmosfera ao livro, mas ao mesmo tempo nos leva a refletir sobre como seria possível 3 crianças se virarem sem a ajuda de um adulto. Como conseguiriam comida, abrigo, e segurança? 

Também é o livro em que alguns mistérios começam a tomar forma e instigar ainda mais o leitor. Nos arquivos descobertos na Biblioteca de Registros conhecemos mais sobre o passado não só dos pais dos irmãos, mas também sobre outros personagens, como o homem morto ao ser confundido com o Conde Olaf no livro anterior, o próprio Conde e a ligação entre todos esses personagens e o narrador do livro. Como já sabemos desde o princípio, Lemony Snicket teve alguma relação com o passado dos pais Baudelaire e do Conde Olaf, mas é só nesse livro que ele se torna realmente um personagem da história.

Como nos outros livros da série, O Hospital Hostil traz muitas referências culturais e pessoais do próprio autor. A começar pelos nomes dos pacientes citados durante o livro: Emma Bovary, Jonah Mapple, Cynthia Vane, todos personagens de livros clássicos da literatura mundial. Clarissa Dalloway, por exemplo, além de referenciar o livro Mrs. Dalloway, ainda presta homenagem à autora Virgínia Woolf, sendo colocada como uma mulher que sofre de uma misteriosa doença que a deixa extremamente triste. Também são utilizados nomes de pessoas ligadas à produção do livro, como o ilustrador, através de anagramas.

O Hospital Hostil acabou se tornando meu novo livro favorito da série, principalmente por acrescentar coisas novas à história. Diferente dos primeiros livros, onde tudo só girava em torno de desgraças acontecendo na vida dos órfãos, agora muitos mistérios começam a ser resolvidos, outros são acrescentados, e começamos a enxergar um encaminhar mais conciso da história. Achei incrível saber mais sobre o passado dos pais e esses pequenos detalhes reavivaram em mim a vontade de continuar a leitura dos livros da série.

Infos:
Título original: A Series of Unfortunate Events - The Hostile Hospital
Autor: SNICKET, Lemony
Editora: Seguinte
ISBN: 9788535919721
226 páginas


Para comprar: Submarino | Americanas | Amazon
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^