23 de dezembro de 2015

[Livro x Filme] A Esperança (parte 2) - Suzanne Collins

Pode conter spoilers dos outros filmes da saga.



Demorei um certo tempo pra conseguir assistir à adaptação. Primeiro porque ela foi lançada no pior momento do meu semestre na faculdade - o final - e eu não tinha absolutamente nenhum tempo pra ir ao cinema. Segundo que eu não estava lá muito preparada para assistir o final. Até decidi reler o livro pra ver se a dor diminuía, mas só aumentou (teve lágrima no final do livro, sim).

O filme se inicia a partir do momento em que Katniss está recebendo os primeiros cuidados após o ataque de Peeta contra ela. Essa parte é bem menos dramática do que no livro, onde ela demora dias até se recuperar e conseguir falar novamente. Já na adaptação, sua recuperação é bastante rápida e em pouco tempo ela já está debatendo com Coin sobre as possibilidades de invadir a Capital junto aos rebeldes.

Esse é o ponto principal em que gostaria de discutir nesse post. No livro, Katniss é proibida de ir à Capital por conta de sua saúde debilitada. Isso também acontece no filme. Porém, na obra original de Collins, Katniss se une à Johanna e participa de todos os treinamentos que a equipe designada para ir à Capital também participa. O desempenho em um teste final daria o aval sobre sua ida ou não à luta.

Porém, no filme isso foi totalmente modificado: ao saber que não poderia ir à Capital, Katniss apenas assente, concordando com Coin, e sai da sala. Após isso, sua ideia é infiltrar-se em um aerodeslizador de cargas que levará suprimentos para a Capital. 

Eu, particularmente, não tenho nada contra mudanças no enredo das adaptações. Porém nesse caso senti como se a personagem fosse subestimada. Na versão do filme, Katniss é capaz de mostrar sua força, sua superação, "matar um leão por dia" como dizemos popularmente. Já no filme tudo o que vemos é uma pontinha de rebeldia em uma garota que concorda com seus superiores por medo das consequências.

Além disso, a mudança acabou deixando de fora uma de minhas cenas favoritas - quando o esquadrão que irá lutar na Capital é formado e os rostos vão se reconhecendo e se sentindo confortáveis a medida em que entendem que todos ali tem algo em comum. Em nenhum momento é explicado o porquê, por exemplo, de Finnick aparecer no acampamento. Ele simplesmente aparece e pronto, agora é parte do esquadrão.

Com relação a mudanças, essa foi minha única ressalva. Todo o filme foi muito bem produzido e com diálogos bem fiéis. Quero destacar algumas das minhas partes favoritas, como o casamento de Annie e Finnick, que teve uma fotografia maravilhosa e takes lindos e também as cenas aéreas dos destroços da Capital e dos Distritos.

Mas meu coração cedeu e as lágrimas rolaram mesmo no reencontro entre Katniss e Buttercup, após o final da guerra. Vocês já sabem que meu fraco são gatinhos, mas gatinhos ruivos me deixam ainda mais boba, e um gatinho ruivo, triste e ronronando... Foi choro na certa. E surtinho. E micão.

A cena final também está espetacular, com o diálogo exatamente igual ao do livro (tanto que, aos prantos, o repeti junto à Katniss), cenas maravilhosas e dignas de final de trilogia! Me senti muito triste e com um pedaço de mim faltando ao sair do cinema (talvez seja o tordo que não apareceu no final dos créditos hahahaha) mas também com sensação de missão cumprida - por mim, por Collins, e por toda a população de Panem.

May the odds be ever in our favor!

(trailer legendado em HD)

1 comentários :

  1. Fazendo mais um show da micão tour e ficando até o final dos créditos pra ser trouxa (mais uma vez)

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^