16 de novembro de 2015

[Resenha] O Leitor do Trem das 6h27 - Jean-Paul Didierlaurent

Não se passa um dia sem que eu escreva. Não fazê-lo seria como não ter vivido esse dia, ter me limitado a esse papel de limpadora de xixi-cocô-vômito que querem que eu assuma, uma pobre moça que tem como única razão de viver essa função trivial pela qual lhe pagam.

O leitor do trem das 6h27 é Guylain Vignolles. Solteiro, vive sozinho e tem cerca de 30 anos, todas as manhãs lê fragmentos de diversas obrar em voz alta no trem que o conduz ao trabalho, numa usina destinada a destruir livros encalhados nas estantes e transformá-los em páginas para novos livros.

Parece contraditório que um leitor assíduo trabalhe num local como esse - e é. Mas é justamente de lá que Guylain retira seu estoque de pequenos trechos de livros que serão lidos no trem. A maioria desses fragmentos é retirada justamente do que resta dos livros na chamada Coisa: a máquina responsável por destruir os livros e a qual o personagem opera. 

Um dia, numa de suas viagens de trem, Guylain encontra um pendrive no banco em que costuma sentar. Ao chegar em casa e vasculhar os arquivos presentes no dispositivo, ele acaba encontrando diversos documentos que, juntos, formavam uma história escrita aparentemente por uma mulher responsável pelos banheiros de um grande shopping. O que ele não sabia é que esses escritos mudariam muito na sua vida e em sua forma de enxergar o mundo ao seu redor.

O livro é bem curtinho e tem ritmo de conto. Acredito que o ponto principal e que mais me cativou nessa leitura foi a construção dos personagens. O autor não poupa esforços (e nem características) para criar personagens únicos e peculiares! São o tipo de pessoa que não esbarramos por aí em qualquer lugar.

Por exemplo, o porteiro da usina é um senhor fascinado por versos alexandrinos. Além de lê-los a todo momento, muitas vezes ainda os encorporava em seu vocabulário, e os diálogos com o personagens se tornam verdadeiras obras de arte a medida em que são descritos.

Há também um ex-funcionário da usina, que perdeu suas duas pernas ao ser engolido pela Coisa. Esse poderia ser o fim de sua vida... Isso se não encontrasse uma motivação ainda maior para seus dias: perseguir todos os exemplares dos livros originados a partir do papel que era esmagado pela Coisa no momento em que ela o engoliu e que, consequentemente, também continha o resto das suas pernas.

É bizarro, sim. Mas a motivação e o orgulho do personagem ao reencontrar cada livro perdido deixam de lado essa parte macabra.

Amei a experiência de ter lido esse livro, e me imaginei trabalhando num local destinado a destruir aqueles que hoje são considerados meus melhores amigos - os livros. Acredito que toda pessoa apaixonada pela leitura precisa conhecer esse livro e seus personagens peculiares. O livro é curtinho, tem uma arte gráfica maravilhosa e além de tudo vem numa versão pocket exclusiva, pra você carregar por aí e, quem sabe, não se tornar o leitor do transporte público da sua cidade!
Infos:
Título original: Le liseur du 6h27
Autor: DIDIERLAURENT, Jean-Paul
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580577914
175 páginas
Livro cedido para resenha pela editora:
Para comprar: Submarino | Americanas
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

3 comentários :

  1. Parece ser bem legal!!! Nossa, eu não iria conseguir trabalhar num lugar desse. Meu coração ia apertar a cada livro destruído. kkkk Beijos
    http://chuvacobertaelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também nunca conseguiria!! Hahahah Já trabalhei numa livraria, seria estranho trabalhar no oposto!

      Excluir
  2. Nossa, eu não conhecia esse livro, mas adorei a premissa. Adoro personagens peculiares, mas já imagino meu coração se apertar só de pensar em um local para destruir livros.
    Adorei a resenha! :3
    Abraços

    http://amadoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^