7 de setembro de 2015

[Resenha] A Lista Negra - Jennifer Brown

Mas eu estava errada. Eu era tanto o monstro quanto a garota triste. Não conseguia separar os dois.

Como já comentei no vídeo de leituras do mês, A Lista Negra era um livro que há pelo menos um ano eu tinha vontade de ler, e tinha certeza que gostaria dele. Não foi diferente das minhas expectativas...

No dia 2 de Maio de 2008, um tiroteio foi iniciado na praça de alimentação do Colégio Garvin. Valerie foi baleada na perna. Valerie era um dos motivos pelos quais aquele tiroteio estava acontecendo. Na manhã daquele dia 2, seu namorado Nick Levil decidiu acabar com todas as brincadeiras e bullying que ambos eram obrigados a aguentar. Entrou na cantina, baleou dezenas de alunos e depois se suicidou - tudo por causa da chama Lista Negra, com nomes de todos que os maltrataram durante o ensino médio.

Depois de muitos meses de recuperação, interrogatórios com policiais e até uma internação na ala psiquiátrica do hospital, chegou o momento de Valerie voltar para a escola, o cenário de anos de bullying sofridos e também o cenário do tiroteio que mudaria toda a sua vida. Antes mesmo de se levantar da cama e enfrentar o dia a ansiedade já toma conta da garota, que mesmo depois de algum tempo não consegue lidar com tudo que aconteceu,

Enfrentar a escola é enfrentar todos os olhares e sussurros que dizem que ela foi, sim, culpada pelo tiroteio, ela e a sua maldita lista - embora todas as investigações já tivessem comprovado que Valerie não estava envolvida nos planos de Nick. Pessoas morreram, pessoas carregam cicatrizes (físicas e emocionais) que nunca mais serão apagadas e todas essas pessoas são um fardo que precisa ser aguentado de agora em diante.

A Lista Negra não é sobre um tiroteio em uma escola. É sobre como esse tiroteio mudou a vida de todas as pessoas envolvidas, é sobre como superar - e se é possível superar - um acontecimento tão traumático, principalmente se você é um dos principais personagens da tragédia e se todos ao seu redor passam a te culpar, e isso inclui os seus pais.

Esse livro realmente me tocou de formas que não sei descrever. Em muitos momentos senti vontade de abraçar Valerie, de dizer que eu sabia que a culpa não era dela e que estava tudo bem. Mas também entendia perfeitamente o lado de quem a culpava, afinal de contas, a maioria dos nomes das pessoas atingidas pelos tiros de Nick estavam em uma lista criada por ela. É preciso culpar alguém pra que a dor diminua ao menos um pouco, e as pessoas escolheram culpar alguém que ainda estava viva para ouvir as acusações.

A narrativa é dividida em diversos tempos verbais, trazendo recortes de jornais sobre o tiroteio, lembranças da Valerie de momentos antes do acontecimento, durante e depois. Os dias que passou no hospital - e depois na ala psiquiátrica -, os diversos conflitos familiares, como seu pai a culpando a todo momento pelo acontecido, e toda sua saga de superação e volta à escola.

Concluí a leitura do livro refletindo que, talvez, certas feridas nunca sejam curadas. Talvez tenhamos que carregar certos sentimentos conosco pra sempre, e tudo bem. O que precisamos é aprender a lidar com eles, e saber transformar tudo isso em alguma coisa boa, mesmo que em um primeiro momento pareça ser impossível. Sei que Valerie conseguiu, e sei que muitas outras pessoas conseguem.

Infos:
Título original: Hate List
Autora: BROWN, Jennifer
Editora: Gutenberg
ISBN: 9788565383110
270 páginas
Para comprar: Submarino | Americanas
 (comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^