20 de julho de 2015

[Resenha] Quem é você, Alasca? - John Green (edição comemorativa de 10 anos)

Se as pessoas fossem chuva, eu seria uma garoa e ela, um furacão

Escrever essa resenha sem muitos feels vai ser bastante difícil pra mim. Quem é você, Alasca? foi a primeira obra do John Green que tive contato, e posso dizer que foi amor à primeira lida. Desde então entrou pra minha lista de livros favoritos da vida, deu um lugarzinho pro John no meu coração e uma de suas passagens tatuada na minha pele. Essa edição comemorativa de 10 anos me fez relembrar o porquê de tudo isso.

Miles Halter é um garoto de 16 anos com uma mania um pouco peculiar: ele coleciona últimas palavras. Vasculhando nas biografias da biblioteca de seu pai, Miles se depara com as últimas palavras de François Rabelais. Saio em busca do Grande Talvez. A partir dessa descoberta, o garoto resolve que também chegou a hora de buscar o seu Grande Talvez, e opta por estudar no mesmo colégio interno onde seu pai passou a adolescência, o Culver Creek.

Chegando por lá logo percebe que a vidinha pacata e sem amigos que levava em sua cidade natal realmente ficou no passado. Seu colega de quarto, Chip Martin, logo lhe deixa a par de tudo que acontece em Creek: escapadas no meio da noite, trotes, bebedeiras e cigarros. E Alasca.

Alasca Young é certamente a criatura mais incrível que já habitou Culver Creek, e Miles se dá conta disso logo no primeiro contato que tem com ela. Dona de incríveis olhos verdes, personalidade forte e uma biblioteca que é sua maior paixão, Alasca se torna a personificação do Grande Talvez. Junto com ela, Miles também descobre novas-últimas-palavras, como as Simon Bolívar: como sairei desse labirinto?, que acaba de tornando mais um dos muitos mistérios que envolvem esse livro.

O pano de fundo principal da história são os trotes que Miles, Chip, Alasca e seus amigos pregam nos Guerreiros de Segunda à Sexta, e vice-versa. Em um desses trotes, Alasca perde metade de sua biblioteca em um alagamento, e a partir de então os amigos iniciam um plano de vingança à altura.

Porém, pra mim o principal da história (e talvez pra maioria das pessoas que leram esse livro) não é essa relação de rivalidade entre eles e os garotos riquinhos e mimados do colégio, mas todas as outras perguntas e questionamentos e reflexões que o livro traz. O que é o Grande Talvez? O labirinto de sofrimento realmente tem uma saída? 

O livro é dividido em "antes" e "depois", mas o marco principal dessa história eu deixo para vocês descobrirem e se descabelarem sozinhos. Muita gente já me xingou por esse spoiler! A questão é: estejam preparados. Pra mim, Alasca doeu mais que A Culpa é das Estrelas.

Agora, falando um pouco mais sobre essa edição especial de 10 anos, eu estou completamente apaixonada por ela! O livro já começa com uma apresentação escrita pelo autor, contando como foi o processo de escrita desse livro e o porquê dele ser tão importante não só pra sua carreira, mas também pra sua vida (confesso que o chororô já começou por aí).

Os extras também são incríveis - diversas cenas cortadas, exemplos de como as cenas eram no manuscrito original e de como se transformaram durante as revisões que deram origem ao texto da forma como o conhecemos; uma explicação sobre o formato de "antes" e "depois" do livro e como todo esse trabalho foi feito e também diversas páginas em que John Green responde perguntas que sempre quisemos saber sobre Alasca e também sua carreira. 

Tô realmente apaixonada por essa edição, que só fez meu amor pelo livro e pelo autor aumentarem ainda mais! Minha unica ressalva - que não é tão importante assim e eu já explico o porquê - foi com relação à tradução.

Li o livro em 2012, quando quem ainda o publicava era a editora Martins Fontes. No primeiro contato que tive, Miles tinha o apelido de Gordo, dentre outras coisinhas diferentes. No último ano, os direitos de publicação de Alasca foram obtidos pela Intrínseca, que já publicava os outros livros do autor no Brasil. Eu, particularmente, gostei muito, já que sou grande fã do trabalho que a editora fez com os outros livros do autor e com tantos outros.

Porém, assim como grande parte dos leitores mais antigos, estranhei um pouco a tradução, que mudou o apelido de Miles para Bujão. Isso não é exatamente um problema - nem pra mim, e principalmente pra quem tá conhecendo a obra agora -, mas sim, rola um estranhamento. Ainda estou me acostumando, embora no meu coração o Miles seja eternamente o Gordo <3

Por fim, esse é um livro que nunca vou cansar de indicar. Ele realmente mudou muita coisa na forma como penso e vejo o mundo, e acredito que seja uma leitura obrigatória na vida de qualquer pessoa. Leia Alasca, mas leia sem a mochilinha do preconceito. Leia e tire dele todas as lições que ele tem pra te ensinar. Além de uma história de amor e amizade, é uma história sobre como lidar com a dor, com a perda e com a culpa.

Infos:
Título Original: Looking for Alaska
Autor: GREEN, John
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580576832
336 páginas

Livro cedido para resenha pela editora.
Para comprar: Submarino | Americanas 

1 comentários :

  1. estou começando um blog sobre livros, series e umas coisinhas mais, se puderem dar uma olhadinha lá.
    http://thegirlsdreamy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^