18 de dezembro de 2014

[Resenha] Cartas de Amor aos Mortos - Ava Dellaira

Era como se uma banda invisível tivesse começado a tocar a trilha sonora da minha nova vida. Ouvi você. E me perguntei se era isso que May sentia quando estava no ensino médio. Deve ter sido, porque era a música dela. Todas as músicas que ouvimos juntas tocaram de uma vez.



Antes mesmo de ler o livro ou saber sua história, muita gente me disse o quanto eu iria gostar - as comparações com As Vantagens de ser Invisível, meu livro da vida, foram muitas.

Em Cartas de Amor aos Mortos conhecemos Laurel, que perdeu sua irmã mais velha, May, há pouquíssimo tempo e ainda está em processo de aceitação de sua morte. Em cada semana ela vive em uma casa. A do seu pai, que evita tocar no assunto da morte e se tornou uma pessoa apática ou de sua tia Amy, religiosa e nenhum pouco liberal.

No seu primeiro dia de aula no ensino médio, Laurel recebe a tarefa de escrever uma carta a alguma personalidade que estivesse morta. E é assim, primeiro através de Kurt Cobain e depois Amy Winehouse, Janis Joplin, Heath Ledger e muitos outros, que conhecemos a história de Laurel, May, e tudo que levou a protagonista até o momento, intercalando o passado e o presente com as histórias dos destinatários das cartas.

À história que começou com uma unica protagonista solitária e em luto, vão sendo adicionados novos personagens, cada um com suas peculiaridades e seus próprios dramas. Sky, o amor platônico que Laurel somente observa durante o horário do almoço; Hannah e Natalie, melhores amigas que aos poucos vão descobrindo sentimentos que são ao mesmo tempo incríveis e medonhos; Tristan e Kristen, o casal mais poético e apaixonado do colégio. 

Todas essas pessoas ajudam Laurel a reconstruir o seu passado, relembrando de cada momento que permaneceu entalado na sua garganta, e construindo quem ela seria a partir de agora, depois de todos os acontecimentos frustrantes e traumatizantes pelos quais foi obrigada a passar.

Confesso que imaginei que a história ficaria meio sem ganchos por ser escrita em cartas direcionadas para várias pessoas diferentes, mas a autora soube perfeitamente dar liga à narrativa. Cada carta conta um pouquinho da história da pessoa à qual é endereçada, e muitas vezes a protagonista utiliza-se da história dessas personalidades como uma metáfora para algum acontecimento de sua vida que será contado.

Foi impossível não imaginar como seria Laurel e Charlie (o protagonista de As Vantagens de ser Invisível) trocando cartas e compartilhando suas histórias, que por sinal são muito parecidas, não só por serem contadas em cartas, mas também pela aflição de iniciar o ensino médio, uma aproximação com um determinado professor e outras cositas mas que evitarei contar pra não soltar spoiler.

Mas, pra quem acha que tudo foi uma enorme coincidência, fica a dica: nos agradecimentos descobri que Stephen Chbosky foi mentor da autora. Ou seja, totalmente explicada a semelhança entre esses dois protagonistas maravilhosos! 

Foi uma leitura deliciosa, poética, forte e com uma carga de aprendizados que eu nunca imaginei que encontraria. É mais um dos livros que dividem minha vida em antes e depois. (Obrigada Carolinda, pelo presente!)
Infos:
Título Original: Love Letters to the Dead
Autora: DELLAIRA, Ava
Editora: Seguinte
ISBN: 9788565765411
336 páginas

3 comentários :

  1. Já ouvi falar MUITO BEM desse livro, e depois de ler essa resenha maravilhosa fiquei com mais vontade de ler ainda ♥ Ele está na minha listinha de livros para 2015 ♥
    Bjs, flor.

    www.eduardalins.com

    ResponderExcluir
  2. O livro parece ser ótimo, e havendo como mentor o escritor de um dos melhores livros, fica puro amor!
    Ah, sendo citado que há cartas pra Janis Joplin e Heath Ledger, fico com mais vontade de ler. ^^
    Beijo, Min - http://www.yasminbueno.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^