26 de novembro de 2014

[Resenha] 365 dias extraordinários - R. J. Palacio

O livro de preceitos do Sr. Browne



O post de hoje, além de cheio de fotos, é cheio de muito amor e energias positivas!

Trago pra vocês um lançamento maravilhoso da editora Intrínseca: 365 dias extraordinários - o livro de preceitos do Sr. Browne. Se você acha que já viu essa capa em algum lugar, você está certo. O livro de preceitos é como um spin-off do lindíssimo Extraordinário, um dos primeiros livros resenhados aqui no blog.

Mas se você ainda não conhece a trama não tem problema! O livro não é nenhuma continuação ou algo parecido. Sr. Browne é um dos professores de Auggie - o protagonista do livro -, e no primeiro dia de cada mês ele apresenta para a classe um novo preceito, para que os alunos reflitam e escrevam sobre o assunto. No novo livro da autora R. J. Palacio, são reunidos 365 preceitos. Alguns retirados de livros, outros de autores e personalidades famosas e até mesmo anônimos.

Os preceitos são divididos em 12 meses, exatamente um para cada dia do ano. Além disso, entre os meses, há pequenas historias contando um pouco sobre o professor Browne na juventude, a visão de alguns personagens sobre Auggie e também alguns acontecimentos pós término de Extraordinário. É amor demais!

A edição é um show a parte. Em capa dura, lombada no maior estilo clássicos importados e com as páginas cheias de ilustrações e tipografias diferentes. Tudo no livro foi impresso em tons de azul, branco e cinza, o que dá um charme a mais. Receber esse livro foi como receber um tesouro! E eu o tratei com todo cuidado do mundo, prestando muita atenção e carinho a cada página virada. Fiquei realmente apaixonada pela obra.

Confesso que só li os preceitos do mês de Novembro - não quero estragar a "surpresa" dos outros meses -, mas ainda assim, conseguiu deixar meus dias muito mais coloridos e muitas vezes encontrei palavras de conforto e motivação por lá, algo que é bastante necessário pra mim nesse momento (hehe).

Recomendadíssimo como presente de amigo secreto ou natal nesse fim de ano. Imagina só aquela pessoa querida lembrando de você todos os dias do ano que vem por aí, quando ler um preceito do livro?! Eu tô doida pra presentear todos os meus amigos (e leitores <3) com esse livro. Como não posso, deixo pra vocês um gostinho dessa maravilha com fotos não tão boas.








Infos:
Título Original: 365 Days of Wonder
Autora: PALACIO, R. J.
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580576108
432 páginas

Livro cedido para resenha pela editora.
Para comprar: Submarino | Americanas
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

24 de novembro de 2014

[TAG] Skoob

Oi gente!
Nunca fui muito ligada nessa coisa de TAG, mas gostei muito dessa sobre o meu perfil no Skoob e resolvi responde-la. Ela foi criada pela Samantha do blog Livros com Resenhas e conheci porque muitos blogs que acompanho também responderam. Vamos lá?!

1) Quantos livros lidos você tem na sua aba LIDO no Skoob?
102!

2) Qual livro você está lendo?
Como Morrem os Pobres e Outros Ensaios - George Orwell (tô lendo há meses pra faculdade)
A Terapeuta - Gaspar Hernández

3) Quantos livros tem na sua aba VAI LER?
65, mas com toda certeza faltam muitos!

4) Você está relendo algum livro? Qual?
Ainda não, mas assim que possível irei reler Quem é Você, Alasca?

5) Quantos livros você já abandonou? Quais são eles?
19. Fiquei meio assustada com a quantidade, mas vamos lá: As Duas Guerras de Vlado Herzog, O Efeito Sombra, O Jogo da Amarelinha, Stolen, Caçada Macabra, A Insustentável Leveza do Ser, O Cortiço, Cartas na Rua, On The Road, Duas Narrativas Fantásticas, Iracema, Os Dragões Não Conhecem o Paraíso, 1808, O Que Aprendi com Bruna Surfistinha (hahaha, sim!), O Diário de Zlata, A Paixão Segundo GH, Soul Love, Gossip Girl vol. 1 e Amanhecer. Ufa!

6) Quantas resenhas você tem cadastradas no Skoob?
7

7) Quantos livros avaliados você tem na sua lista?
95

8) Na aba FAVORITOS, quantos livros você tem registrados? Quais são?
8. Dom Casmurro, Ensaio Sobre a Cegueira, As Vantagens de Ser Invísivel (o livro da minha vida <3), Scott Pilgrim vs. The World vol. 3, Eleanor & Park, Pausa e A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert (os três últimos estão resenhados no blog e vocês podem conferir na aba de resenhas no menu).

9) Quantos livros você tem na aba TENHO?
60 (mas também sempre esqueço de adiciona-los lá heh)

10) Quantos livros você tem na aba DESEJADOS?
13

11) Quantos livros emprestados no momentos? Quais?
Na aba nenhum, mas isso me fez lembrar que A Seleção e A Elite estão com uma amiga.

12) Você quer trocar algum livro? Quais são?
Tenho 5 na aba. mas já vendi eles no sebo e esqueci de tirar.

13) Na aba META, quantos livros você tem marcados? Cumpriu essa meta?
17, mas desisti da meta faz tempo!

14) Qual é o número do seu paginômetro?
25.530

15) Qual é o link do seu perfil no Skoob?




21 de novembro de 2014

[Destilando Palavras #1] Sala de Jantar d'Alma

Pra começar gostaria de apresentar a nova coluna do blog: Destilando Palavras. 
Quando comecei a blogar, lá em 2007, minha intenção era exclusivamente ter um lugar pra soltar meus pensamentos, já que gostava muito de escrever. O tempo foi passando, a criatividade foi indo embora e meus focos foram mudando, mas mantenho todos meus textos guardados com muito carinho e vez ou outra ainda me arrisco com as palavras.

Nessa nova coluna vou deixar um pouquinho do que produzi nesses 7 anos.



Te cozinho em pensamentos,
em banho maria.
Te salpicando com minhas manias,
te deixando dourar mais um bocado



Te sirvo em louças finas,
na sala de jantar de minh’alma
com talheres de prata
e vinho branco pra acompanhar



Te guardo na geladeira,
na dispensa, onde seja
te conservo e te cuido que é pra não estragar



E no final da noite,
me despindo de minhas tristezas,
te afago e levo ao quarto
e te guardo a sobremesa.

(Novembro/2012)

19 de novembro de 2014

[Resenha] Um Caso Perdido - Colleen Hoover

Os acontecimentos da vida de uma pessoa estão todos aglomerados um minuto após o outro, sem nenhum intervalo de tempo, páginas em branco ou pausas em capítulos, porque não importa o que aconteça, a vida simplesmente continua, segue em frente, as palavras são ditas, e as verdades sempre surgem, quer você queira ou não, e a vida nunca deixa você fazer uma pausa apenas para recuperar a porra do fôlego.


Desde o dia em que vi a capa de Um Caso Perdido pela primeira vez, até o dia em que ganhei de presente de uma amiga muito linda da faculdade, se passaram alguns meses. Mas de alguma forma eu tinha certeza que a espera valeria a pena. E valeu: antes da metade do livro ele foi considerado um de meus favoritos.

Colleen Hoover nos apresenta Sky, uma garota de 17 anos que foi adotada quando criança e, desde então, não tem contato com certos tipos de tecnologia, como televisões e aparelhos celulares. Além disso, foi educada por sua mãe em casa e nunca foi à escola. No último ano do ensino médio Sky convence sua mãe a deixá-la frequentar um colégio normal.

Sky não tem a melhor das famas na cidade. Ela e sua melhor amiga e vizinha, Six, têm a reputação de serem "meninas fáceis". Tudo porque nenhuma das duas reprime seus desejos, e pelo menos 1/4 dos alunos da escola já pularam a janela de uma das duas no meio da noite. 

Como se não bastasse a ansiedade pelo início das aulas e sua má fama, Sky terá de enfrentar os novos desafios de sua vida sozinha, já que Six irá para um intercâmbio de 6 meses do outro lado do planeta. No meio disso tudo, Holder aparece no caminho de Sky.

Misterioso, quase que uma incógnita, aos poucos um sentimento vai florescendo entre os dois, e com isso muitas feridas do passado voltam a doer. O que você faria se descobrisse que toda sua vida foi uma mentira?

Confesso que é extremamente difícil escrever sobre esse livro sem dar algum spoiler. A história é uma das mais originais que já li, e até a última página eu não fazia a menor ideia do que iria acontecer com os personagens. É um livro completamente imprevisível.

Já havia lido Métrica e Pausa da mesma autora, e percebi uma escrita muito mais madura e concreta em Um Caso Perdido. A construção dos personagens foi extremamente bem feita, e digo com propriedade: é quase impossível não se apaixonar pelo Holder. De verdade. Os diálogos são tão fortes e emocionantes que me peguei muitas vezes chorando, arrepiada, com uma frase curta do personagem.

Um Caso Perdido tem uma carga emocional bastante forte, que é muito bem descrita por Colleen Hoover. A cada novo capítulo, é possível se sentir mais próximo da história, torcendo pelos personagens, querendo gritar junto com Sky nos momentos de aflição e estar junto com o casal nos momentos de amor.

Tudo o que consigo dizer agora é o quanto esse livro me tocou. Me fez sentir sensações e sentimentos que estavam há muito tempo adormecidos em mim (o que foi, nas mesmas proporções, bom e ruim); me fez sentir mais humana e mais emotiva. Me fez sentir.

E poucos autores sabem como fazer o seu leitor realmente sentir.

Infos:
Título Original: Hopeless
Autora: HOOVER, Colleen
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501403940
384 páginas.
Para comprar: Submarino | Americanas
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

17 de novembro de 2014

[Livro x Filme] Em Chamas - Suzanne Collins



Com o lançamento da primeira parte de A Esperança nos cinemas, eu não poderia deixar de contar pra vocês as minhas impressões sobre o segundo livro da saga - Em Chamas.

Assisti logo depois de terminar a leitura, o que tem em torno de um mês, mas as memórias estão bem claras na minha mente! Se você ainda não leu Jogos Vorazes ou Em Chamas, talvez não queira ler esse post: contém spoilers (revelações sobre o enredo). Pra não perder a viagem, você pode escolher qualquer outro livro da nossa sessão de resenhas, que tal?!

Nesse segundo livro os vencedores dos Jogos Vorazes, Katniss e Peeta, estão se preparando para a turnê da vitória - que consiste basicamente em visitar todos os distritos e a Capital, participando de recepções e aparições ao público. Tudo deveria correr bem, e logo depois da turnê ambos poderiam ter seu momento de descanso... Isso se a atitude de Katniss ao sugerir um duplo suicídio na final dos Jogos não tivesse despertado certos sentimentos na população.

Nos mais diversos distritos, o ato foi visto como símbolo de resistência e afronta à Capital, o que gerou uma certa esperança nos cidadãos que, aos poucos, começaram a se rebelar. Isso definitivamente despertou a ira na Capital e no presidente Snow, e obvio que Katniss não será deixada em paz depois disso.

Dentre as milhares de coisas que acontecem daí pra frente a principal é: Katniss e Peeta estão de volta à arena dos Jogos Vorazes. Me atentando não à detalhes do livro, mas sim nas comparações entre ele e o filme, é bem mais fácil entender toda a saga visualmente do que através da leitura - ou eu só eu tive essa dificuldade?!

Quando os protagonistas voltam para os Jogos, a arena é completamente diferente, e eu simplesmente não conseguia entender através da descrição do livro. Foi bem difícil de visualizar principalmente a arena, mas de resto foi bastante fiel ao livro.

Uma coisa que senti falta foi da presença forte da imagem do Tordo. No livro há bastante ênfase para a forma como toda a população passou a utilizar o Tordo, alguns tendo-o como uma bandeira de resistência, e na Capital como o "acessório do momento". Ele realmente estava em todo lugar, o que acabou sendo diretamente ligado à imagem de Katniss. No filme, onde isso poderia ser explorado de diversas formas, vi uma imagem do Tordo e só. Senti falta porque acho bem importante pros acontecimentos do próximo e último livro (que eu estou terminando agora e venho contar minhas impressões comparando com o filme!).

Gostei muito do filme, mais uma vez. Toda a produção e efeitos especiais foram bem elaborados, e a obra me ajudou a entender muito do que não ficou claro na leitura.

E vocês?! Me contem o que acharam do filme!


12 de novembro de 2014

[Resultado] Sorteio Termine Este Livro - Keri Smith

Olá!

Hoje trago boas novas para aqueles que participaram do sorteio, em parceria com a editora Intrínseca, de um exemplar do livro Termine Este Livro, da já queridinha Keri Smith.


A vencedora foi a leitora Janaína Facio! Meus parabéns! (link do resultado: https://sorteiefb.com.br/resultado?id=2dqN)

E para os participantes, aguardem que logo logo vem mais sorteio por aí. Se você participou da promoção e não ganhou, não fique triste: envia pra gente seu endereço lá na fan page do facebook que vou enviar marcadores do blog para todos os participantes.

Se você ainda não conhece o livro, não perca tempo, vem ver a resenha!

7 de novembro de 2014

Projeto Jornalista: o primeiro semestre

Oi gente!

Essa é a segunda postagem da série de posts sobre minhas impressões da faculdade de jornalismo. Você pode ler nesse link aqui como eu descobri o que queria pro resto da vida.

Bom, depois de passar por muitos perrengues (que eu contei um pouco na primeira postagem), finalmente chegou o dia de começar as aulas! Eu estava muito ansiosa, obviamente, mas confesso que com bastante medo. Tenho alguns problemas em me socializar, e já entrei achando que não iria fazer nenhum amigo e passar os próximos 4 anos sozinha num lugar onde eu odiaria todo mundo - porque, sim, essa era a impressão que eu tinha.

Não participei do trote, porque pra mim não faria sentido comemorar o fato de estar numa faculdade particular da qual eu nem fiz o vestibular. Embora eu estivesse bastante feliz de ter passado em algumas públicas e tudo mais, o começo da faculdade foi um período muito conturbado da minha vida (que, por sinal, só estou superando agora), então eu realmente não via motivos pra comemorar.

Por isso, no primeiro dia de aula eu fui uma das poucas alunas que foi assistir à palestra. Os palestrantes eram dois jornalistas que haviam se formado na universidade onde eu estava ingressando, e que foram contar um pouco sobre as experiências que estavam tendo fora de lá. Foi uma conversa muito gostosa e, principalmente, motivadora, já que um deles viajou por grande parte do mundo fazendo reportagens, e isso é com certeza uma das coisas que mais busco através da profissão.

(eu - a moça ruiva de xadrez e sorriso bobo)

Uma coisa que sempre me perguntam é: você não começa aprendendo a fazer jornalismo logo no primeiro semestre, né?! E eu digo: sim!!! Porque, de uma forma ou de outra, em todas as matérias o nosso pézinho na área está lá. No primeiro semestre tive matérias introdutórias, como Expressão na Comunicação (que eram aulas muito divertidas, realizadas num teatro, onde gravamos um jornal fictício e apresentamos uma montagem teatral como trabalho final) onde tivemos noções de como nossa expressão corporal diz muito sobre a gente e como isso é importante em frente às câmeras e também em frente a uma possível fonte na hora de entrevistá-la. Uma outra matéria que eu gostei muito foi Introdução ao Jornalismo Impresso que, bem, como o nome já diz, foi meu primeiro contato com o jornalismo dentro da faculdade. Foi nessa aula que me dei conta do quão difícil a profissão pode ser: aprendi desde como criar o título da reportagem, até a estrutura que ela deve seguir. Ou seja né, se você acha que é só chegar sabendo escrever bem que você será um bom jornalista, acho que essa aula acabaria com os seus sonhos. Foi nessa matéria também que fiz meu primeiro jornal e minha primeira reportagem.

Fora essas matérias introdutórias, tive outras que servem de base para as mais diversas áreas da comunicação, como Sociologia, História do Jornalismo, Teorias da Comunicação e Produção de Textos.

Foi um semestre bastante puxado pra mim, principalmente porque o ambiente universitário é bastante diferente do ambiente em que estamos acostumados no colegial. Primeiro que a maioria dos professores vai te passar o básico em aula - o aprofundamento na maioria das vezes estava nos textos complementares que deveriam ser lidos depois de cada aula. Claro que eu descobri isso da pior maneira: quando as provas chegaram. Eu sempre gostei bastante de estudar e sempre me dediquei muito (coisa que herdei da época dos vestibulares), então sempre me organizei muito pras provas, mas pra dar uma mãozinha nesse primeiro passo dentro do ambiente universitário, a faculdade ofereceu uma disciplina chama Introdução à vida Universitária. Eu confesso que detestava, mas tenho um bom motivo pra isso já que as aulas eram no sábado. No sábado de manhã. Tirando essa tristeza e preguiça todas, foi uma aula que nos auxiliou a conhecer melhor como as coisas funcionavam lá dentro e também conhecer melhor nossa futura profissão.

Por fim, sobrevivi ao primeiro semestre, mesmo sem amigos e pensando que não sobreviveria!
Posso dizer que os primeiros 6 meses são bastante decisivos para saber se você quer ou não continuar na faculdade, já que é uma introdução bem básica ao curso. Confesso que desanimei em vários momentos, mas depois de ver tudo que aprendi e produzi a vontade de terminar o curso e trabalhar na área só aumentou!

Espero ter sanado algumas dúvidas sobre esse primeiro semestre e, se ainda restou alguma, é só deixar um comentário! Um beijo.