21 de outubro de 2014

[Resenha] Willow - Julia Hoban

"Ao sentar ao lado dele, ela está totalmente consciente do modo colo o corpo dele a faz sentir, de como os braços dele se parecem com as mangas puxadas, da textura da pele dele nua ao se esfregar contra ela, e a sensação de todas essas coisas a evocam profundamente. E ela percebe que por mais que tentasse impedir isso, por mais que tentasse sentir apenas dor, agora tem mais alguma coisa que ela também sente, e não há mais nada que ela prefira fazer no momento do que beijá-lo."


Há um tempo atrás fiz uma postagem aqui no blog contando sobre o livro Willow, aposta dentre os lançamentos da editora parceira LeYa, e o principal foco da postagem era a temática "culpa na literatura".
Pois bem, eu já estava parcialmente por dentro do assunto, mas com certeza nada me preparou para o que encontrei nas páginas de Willow.

A protagonista que dá nome ao livro tem só 17 anos e já tem de lidar com a maior barra de sua vida: a morte de seus pais. Como se não bastasse se tornar órfã da noite para o dia, ela se culpa a cada segundo pelo rumo que sua vida (e de todos aos seu redor) tomou. Ela dirigia o carro que se acidentou e matou seus pais.

Após o acidente, Willow passa a morar com seu irmão e sua nova família, e suas aflições estavam só começando. Ainda cursando o ensino médio, cada vez mais distante de seu irmão e sentindo-se uma invasora em seu novo lar, a garota não se permite sentir nada que não seja a dor. A dor física. Willow passa a automutilar-se escondida de todos.

Um dia Guy cruza o seu caminho e descobre o segredo guardado por debaixo das mangas compridas que Willow costuma usar, e essa descoberta vira o mundo de ambos de cabeça para baixo. Se inicia então uma relação de amizade, afeto, carinho e principalmente, muito cuidado.

Foi impossível não me apaixonar e me comover com cada pedacinho dessa história. A dor que Willow carrega de ter perdido os pais e se culpar a todo momento por isso é algo inimaginável para mim, mas que a autora soube colocar em palavras de uma maneira que poucos conseguiriam. 

Pensei realmente que o foco de tudo isso seria somente a culpa que ela sente, mas não! O livro se aprofundou em diversos sentimentos, na luta que ela tinha consigo mesma de não se permitir sentir mais nada, como uma punição pelo que havia feito. 

A construção dos personagens e de suas relações merece um destaque, e rendeu os melhores quotes do livro. O único ponto (que nem é tão) negativo, para mim, é que talvez os sentimentos e pensamentos de Willow fossem melhor explorados se a escrita acontecesse em primeira pessoa, diferente do livro que tem um narrador externo.

Tirando esse único detalhe, esse livro com certeza entrou na lista dos meus favoritos e vale a pena ser lido!

Observação: se você, por um acaso, tiver problemas com automutilação, o livro pode trazer sensações não tão boas.

Infos:
Título Original: Willow
Autora: HOBAN, Julia
Editora: LeYa
ISBN: 9788544100813
352 páginas
Livro cedido para resenha pela editora. 

Acompanhe também nas redes sociais: Facebook Twitter | Loja Online

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^