15 de outubro de 2014

Assisti: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho



Oi gente!
Desde que fiquei sabendo do lançamento desse filme estava muito ansiosa por assisti-lo. Li diversas críticas ótimas sobre ele, e quando recebi a notícia de que poderia ser um dos filmes a representar o Brasil na maior premiação do cinema mundial - o Oscar -, decidi que estava mais do que na hora de conferir o maravilhoso Hoje Eu Quero Voltar Sozinho.


Leo é um adolescente cego que, como qualquer adolescente, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Para decepção de sua inseparável melhor amiga, Giovana, ele planeja libertar-se de seu cotidiano fazendo uma viagem de intercâmbio. Porém a chegada de Gabriel, um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos em Leo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo novo para a vida dele.

Eu já conhecia o curta-metragem que deu origem ao filme há alguns anos (se você ainda não assistiu, vale a pena!), e por saber da delicadeza passada em apenas alguns minutos, tinha grandes expectativas quando ao longa.

Digamos que não me decepcionou, mas também não seguiu o que eu tinha em mente. Toda a história do filme já tinha sido abordada no curta, porém de uma forma menos detalhada e mais direta. O que eu esperava, dessa vez, era uma continuação, algo que mostrasse os desafios que se seguiram na história e coisinhas do tipo. Para minha surpresa, a história do filme é quase a mesma do curta.

De forma alguma isso estragou o filme ou tirou seu mérito. Tudo nele é lindo!
A fotografia é impecável, comparável a grandes obras do cinema internacional, e a trilha sonora conta com fofuras como Cícero, Mallu Magalhães em dueto com Marcelo Camelo e Belle & Sebastian. Inclusive, uma das minhas cenas favoritas é justamente essa: Gabriel e Leo dançando juntos ao som de Belle & Sebastian. Muito amor!



Logo em seu lançamento, me veio em mente a polêmica que o filme poderia causar - afinal, convenhamos que a sociedade ainda não lida tão bem assim com a homossexualidade, e se tratando de pessoas tão jovens, menos ainda -, mas para minha surpresa, a maioria dos comentários que li foram super positivos.

Acredito que isso se deu ao fato do tema ser tratado de forma tão natural e com uma delicadeza sem tamanho. Em uma das cenas, quando Leo conta para Giovana que está apaixonado por Gabriel, ele nunca é questionado pelo fato de amar alguém do mesmo sexo. O que mais chateia a garota, talvez, seja o ciúmes do melhor amigo, mas de forma alguma a sua sexualidade, e não trata-la como algo bizarro e absurdo com certeza ajudou na forma como o público recebeu a história e a abraçou.

Sou suspeita pra falar desse filme porque fiquei completamente apaixonada, mas minha recomendação é: assistam. Assistam de coração aberto, despidos de quaisquer preconceitos, assistam e sintam o amor em uma de suas formas mais puras!

(trailer em HD)

Acompanhe também nas redes sociais: Facebook Twitter | Loja Online

1 comentários :

  1. Olá; eu ainda não vi esse filme, mas pela repercussão que ele teve (e pelo título) tenho curiosidade de assisti-lo. E se a trilha sonora é boa, já é um ponto a mais para ele.
    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^