25 de julho de 2014

[Resenha] Passarinho - Crystal Chan

"Eu poderia chegar ao penhasco de olhos fechados, como se tivesse uma linha invisível presa ao meu coração, esticada, puxando-me pela estrada e pelos campos, diretamente para a montanha. Foi então que percebi que, de muitas formas, os lugares são como as pessoas: pensam nas pessoas queridas quando estão longe, esperam elas voltarem e ficam felizes quando isso acontece."

Esse livro foi uma das grandes surpresas pra mim esse ano. No começo não sabia nem o que esperar dele, confesso que escolhi entre os lançamentos da editora parceira por exclusão de temas que não me agradavam, mas agradeço por isso.

Em Passarinho, somos apresentados à história de Jóia Campbell. 
Jóia nasceu no mesmo dia em que seu irmão John - ou Passarinho, como fora apelidado por seu avô - se jogou de um penhasco. O garoto tinha apenas 5 anos, e acreditava que um dia poderia voar. Como se não bastasse isso, desde então seu avô não pronuncia uma palavra se quer.

Tudo isso aconteceu há 12 anos, e hoje, Jóia sente-se mal sempre que se aniversário chega. Consegue ver nos olhos da mãe a tristeza pelo aniversário da morte de Passarinho, e isso confunde os sentimentos da menina.
Jóia tem uma relação muito forte com a natureza, pretende ser geóloga e quando não está subindo em alguma árvore, contraria a vontade de seus pais e vai até o penhasco de onde seu irmão pulou. Lá, a menina enterra pedrinhas como se enterrasse pensamentos e frustrações, e constrói um círculo com pedras que representam cada ano de sua vida. 

Um dia, enquanto observava a cidade de cima de uma árvore, ela conhece John.
John quer ser astronauta, e está passando as férias na casa de seu tio, na cidade de Jóia. O menino foi adotado quando criança e nada sabe da vida dos seus pais biológicos, mas recompensa isso estudando tudo sobre o universo e ensinando à Jóia. Ele a leva para conhecer a Horizonte de Eventos - uma árvore centenária oca onde ele se abriga para observar o céu. O nome é uma referência direta à barreira imaginária que delimita o ponto onde tudo é sugado por um buraco negro, também chamado de ponto sem volta.

Descendentes de jamaicanos, o pai e o avô de Jóia são extremamente supersticiosos e acreditam nos chamados duppies, espíritos malignos vindos da jamaica. O avô da garota, além de atribuir a morte de Passarinho a um duppy, acredita que John (por ter o mesmo nome do falecido Passarinho) também é um deles, e o recepciona da pior forma possível. Já o pai tem certeza que a culpa pela morte do garotinho é toda do avô, a pessoa quem o apelidou de Passarinho e o fez acreditar que poderia voar.

Gente, esse livro é incrível.
A relação de Jóia com a natureza é fantástica. Ela acredita que todos os lugares são especiais, e que até mesmo os rochedos conseguem entrar em contato conosco e com nossos sentimentos. Ela sente a energia dos lugares, e o penhasco é um dos lugares mais especiais para ela, sem nem ao certo saber o porquê.
Jóia é, de longe, uma das personagens mais legais que conheci.

John - ou Eugene, e vocês entenderão o porquê disso quando lerem o livro - não fica atrás! No começo misterioso, o personagem foi ganhando meu coração aos poucos. Ele é extremamente inteligente, e nos presenteia com incríveis explicações sobre o universo, como é o caso das estrelas que fazem parte de um sistema binário fechado (que conceito incrível!).

Alguns pontos do livro são bem pesados, principalmente no que diz respeito à familia de Jóia. o Avô não fala, e isso deixa a menina extremamente frustrada por não ter conhecido como seu avô era antes de Passarinho. Somado a isso, as constantes brigas de seus pais e a sensação de não ser desejada, levam a protagonista ao desespero, e é impossível não torcer para que ela tome a melhor decisão possível.

Pra quem gosta de passagens e quotes poéticos e profundos, o livro é um prato cheio. Só de marcações com post-its, contei 15, isso sem contar as grifadas com marca texto de pequenas frases.
Também me chamou bastante atenção a forma como a autora buscou resgatar tradições da cultura jamaicana, além dos duppies. Com certeza foi feito um trabalho de pesquisa extenso, e isso conta muitos pontos para mim!

Notei muitas semelhanças entre Jóia e a protagonista de Claros Sinais de Loucura (resenhado aqui), Sarah Nelson. Até mesmo a história e as aflições das duas são parecidas, sem contar a inteligencia! Elas com certeza seriam boas amigas.

Passarinho é um livro que você tem que ler e refletir muito sobre nossa relação com o divino (seja ele Deus, a natureza, o cosmos, energias...)
Infos:
Título Original: Bird
Autora: CHAN, Crystal
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580575354
222 páginas
Livro cedido para resenha pela editora.
Para comprar: Submarino | Americanas
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

8 comentários :

  1. Oi...

    Parece ser um livro emocionante, do jeito que eu sou mole vou chorar. Rs. Já tinha lido algumas resenhas desse livro e quero sim ler, só não agora. Vai ficar no desejados do Skoob.

    Beijos!

    Cintia
    http://www.theniceage.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser muito bom e foge das distopias, que é o que eu ando querendo me desgrudar (li SÓ 14 distopias esse ano, rsrs). Além de ser uma história emocionante.
    Adorei!


    Beijos,
    wesaysomething.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adorei o blog

    Visita: http://trendybutterfly.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Olá... Tudo bem???
    Passando para conhecer cantinhos novos e encontrei os seu... Achei tão fofo e estou seguindo viu.

    Bom pela capa do livro eu não me interessaria tanto, pois sou movidas a capas (defeito? pode ser rs) Só que lendo a sua resenha não tive como resistir e amei. Os pontos que você levantou sobre ele mexeram comigo e claro que estou colocando na minha listinha de desejados do skoob. Essa relação de perda de filho termina atingindo um irmão ainda mais quando o que faleceu era querido e tinha qualidades existenciais marcantes... eu acho errado os pais fazerem isso com outro filho... e deixar uma criança próxima de um penhasco também é surreal, mas preciso ler o livro para entender melhor e tirar as minhas conclusões xero!!!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana.
    Tudo bem?. Espero que sim.
    Passarinho é um livro que me chamou muita atenção desde que vi na page da Intrínseca como lançamento, diferente de você. Mas que bom que no decorrer da leitura o livro te ganhou total. Espero brevemente ler esse livro. Além de parecer ter uma história incrível a capa é linda. Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Adorei a resenha e a história, que parece ser bem emocionante, não?
    Amei o blog, já estou seguindo e dei um like na fan page :) Beijos, http://leiturasemfrescuras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Okay, pra ser bem sincera, antes de ler sua resenha eu não tinha a mínima ideia do que o livro falava, e agora estou louca pra tê-lo em minhas mãos. Que história é esse, meu Deus? Fiquei boquiaberta. Estou mais que curiosa, porque além da capa maravilhosa, ainda tem contém uma história forte dessas. E quando você disse que tinha frases poéticas e profundas... Foi ai que o livro me ganhou de vez.
    Vai pra minha lista, sem dúvidas.
    Amei a resenha.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Bom dia, Ana!
    Estava louca para ler sua resenha mas só tive tempo agora =( Fiquei me perguntando porquê que eu não solicitei esse livro. Ele parece maravilhoso! Tenho certeza de que eu iria me emocionar com a relação da família, a insegurança de Jóia e todas essas coisas mencionadas em sua resenha. Sem falar dos costumes e tradições. Tô numa ~onda~ de livros mais dramáticos, acho que iria gostar desse (não que ele SEJA dramático, mas ele deve render algumas lágrimas...)

    Beijos,
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^