14 de junho de 2014

[Resenha] Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington

Amor pode ser uma palavra-problema para algumas pessoas. Loucura também. Eu sei bem.

Muito amor, muito fofinho!
Recebi esse livro da editora Intrínseca já faz quase um mês, mas a faculdade não me deixava ler! Quando finalmente consegui, era impossível desgrudar dele. Devorei em dois dias, e hoje venho contar pra vocês!

Em Claros Sinais de Loucura conhecemos Sarah Nelson, uma menina muito inteligente, apaixonada pelos livros e por palavras, mas com um pequeno problema: quando tinha 2 anos, sua mãe Jane Nelson tentou matá-la afogada. Jane foi presa e, ao declarar insanidade, foi internada em uma clínica psiquiátrica, e desde então a menina só tem contato com ela duas vezes por ano, quando recebe cartões de natal ou aniversário.
Sarah já passou por dezenas de mudanças e cidades, tudo porque seu pai (um professor universitário alcoólatra) foge sempre que alguém descobre quem eles são. Sim, o caso da mulher que tentou matar sua filha e conseguiu matar o irmão gêmeo dela, Simon, é mais famoso do que podemos imaginar.

Logo de cara percebemos o quanto a protagonista é forte e corajosa. Ela lida com os acontecimentos de seu passado da melhor forma possível: naturalmente. Poucas coisas a preocupam, como por exemplo o verão péssimo que ela terá na casa dos avós, em Houston, e um trabalho do sétimo ano que envolve árvores genealógicas que podem revelar a todos quem é a sua estranha família. Além disso, Sarah se preocupa muito se ficará "louca" como a mãe (louca, loucura e seus derivados são palavras-problema em sua casa, e nunca devem ser repetidas) e por isso ela passa a buscar em si mesma os chamados claros sinais de loucura, que dirão se em breve ela também irá enlouquecer ou viver uma vida quase-normal como as outras pessoas.

O livro é todo cheio de quotes lindos e sensíveis. Sarah, apesar da pouca idade, é inteligentíssima e sempre tem uma palavra preferida para cada momento da história. Seu livro preferido é O Sol é Para Todos, uma leitura um tanto quanto incomum para uma menina de 12 anos. No livro, ela recebe como tarefa de férias do seu professor de inglês, escrever cartas. As cartas podem ser direcionadas a quem quiser, e ela escolhe o personagem Atticus, de seu livro favorito. Além disso, a menina tem o costume de conversar com uma planta que, tcharam, tem o nome de Planta!

Acompanhamos o sofrimento dela para entender a cabeça do pai, que quando sóbrio é super-protetor e quando bêbado acaba ignorando totalmente a garota, que passa a assumir o papel que ele deveria ter com ela. Sentimos também a aflição de ter um futuro incerto, já que muitos dizem que doenças psiquiátricas são algo genético e Sarah morre de medo de também ser considerada louca. Muitas vezes tive a sensação de voltar ao tempo quando eu tinha 12 anos, já que sei como é não ser como todas as outras crianças que gostavam de harry potter, isso sem contar todas as mudanças que ela vem passando - a ansiedade pelo primeiro beijo, o primeiro coração partido, a primeira menstruação...

Confesso que demorei um pouco para pegar no embalo do livro, apesar de a leitura ter sido bastante fluida, no começo eu não conseguia entender muito bem a proposta da autora, se ela queria nos mostrar o dia-a-dia e as mudanças na vida dela (como acontece em As Vantagens de Ser Invisivel, que por sinal, consegui relacionar bastante com esse livro), ou se algo extraordinário iria acontecer em algum momento.
Por fim, as minhas duas suposições estavam corretas!

O final valeu a pena, apesar do gostinho de quero mais. Meu livro está todinho marcado, a forma poética como a autora descreveu alguns pensamentos da Sarah, que narra o livro escrevendo em seu diário, deu um toque final na personalidade que imaginei para ela. Uma ótima recomendação pra quem quer ler algo leve, mas que mesmo assim toca alguma coisa dentro da gente!

Infos:     Título Original: Sure Signs of Crazy
Autora: HARRINGTON, Karen
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580575071
254 páginas.

Livro cedido para resenha pela editora. 
Para comprar: Submarino | Americanas
(comprando através dos links do blog, a blogueira que vos fala ganha um dinheirinho pra investir em mais resenhas pra cá)

3 comentários :

  1. Drama Infanto Juvenil: já abandonei Extraordinário. Lendo a sinopse percebi que esse realmente não é o meu tipo de livro

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho que ela vai ser louca sim... ela fala com uma planta, haha! Parece ser legalzinho, mas tenho medo que se pareça muito com As Vantagens de Ser Invisível, pois não gostei muito dele. Por incrível que pareça, prefiro o filme do que o livro (isso é estranho, eu sei). Mas achei a capa uma fofura! Se eu tiver a oportunidade de ler, eu lerei!

    Bjs, Raquel.

    morethanaworld.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Já vi a Mel Ferraz, do blog Literature-se e a Ju, do Nuvem Literária, falando super bem desse livro e só agora eu parei para ler uma resenha dele. Parece ser um livro legal, a história da garota já me conquistou. Fiquei muito curiosa sobre ele. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita e comentário!
Comentários com mera intenção de spam ou divulgação serão ignorados.

Todas as visitas são retribuídas (muitas vezes retribuo seguindo o blog em questão, para assim poder comentar uma publicação que seja interessante e acrescentar ao invés de só retribuir).

Beijos ^-^