6 de setembro de 2013

[Resenha] Cidades de Papel - John Green

“A cidade era de papel, mas as memórias, não. Todas as coisas que eu tinha feito ali, todo o amor, a pena, a compaixão, a violência e o desprezo estavam aflorando em mim."
 
Eu não sei nem como começar a escrever essa resenha pelo simples motivo de que: é John Green. John fucking Green. Mas vamos lá:

Cidades de Papel, o quinto livro do autor traduzido e publicado no Brasil, conta a história de Quentin (mais conhecido como Q). Q sempre morou na mesma cidade, na mesma casa, e sempre teve a mesma vizinha: Margo Roth Spiegelman, por quem ele alimenta uma paixão platônica. Na infância, os dois encontraram juntos o corpo de um homem morto na vizinhança e desde então jamais se falaram novamente.

Nove anos depois do ocorrido, Margo surge no meio da noite cheia de segredos convidando Q a participar de seu ''plano de vingança''- pela cidade e munidos de 3 peixes, um buquê de tulipas, energéticos e outros materiais totalmente aleatórios, eles saem dando o troco em cada pessoa que magoou Margo nos últimos meses.

O plano aparentemente dá certo e tudo volta ao normal na manhã seguinte, exceto por um porém: Margo desapareceu. Simplesmente. Sumiu do mapa. E é aí que a história começa a ficar interessante, meus caros!

Segundo os pais da garota, não é a primeira vez que ela foge, e em todas as outras foram encontradas pistas deixadas por ela para que descobrissem para onde foi. E Quentin segue essas pistas, mesmo que a principio pareçam desconexas e sem sentido.


Gente, eu juro juradinho, eu não conseguia desgrudar desse livro! Quebrando a quase-regra de já ter certeza do final dos outros livros que li do John Green, esse eu não fazia a menor ideia do que aconteceria. E dá pra permanecer assim até o último capítulo do livro. É amor puro!

Acima de tudo, é uma história sobre dois assuntos: ''ir embora'' e amizade. É lindo de ver como os amigos do Q, mesmo não concordando com o fato do garoto largar tudo e ir procurar Margo, fazem o que podem para ajudá-lo. 

Eu poderia passar horas explicando o porquê desse livro ter sido um dos melhores que li no ano, mas com certeza daria muitos spoilers. Vou somente dizer que vale a pena. Pra quem já leu outros livros do autor, esse segue muito o estilo de ''Quem é você, Alasca?'', principalmente no que diz respeito ao companheirismo entre os personagens, ao mistério em que a garota em si se torna e toda a filosofia envolvida por trás de algumas passagens e acontecimentos.

Ps.: Vale a pena ler os poemas de Walt Whitman, muito citados no livro e uma das pistas deixadas por Margo.
Infos:
Título Original: Paper Towns
Autor: GREEN, John.
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580573749
361 páginas