29 de março de 2013

[Resenha] I'm with the band, Confissões de uma groupie - Pamela des Barres

Eu amava a música e os homens que a faziam. O som agudo de uma guitarra elétrica e a sexy pancada de um denso e profundo baixo me abriram e instalaram o caos em meus hormônios adolescentes. Eu queria estar perto dos homens que me faziam sentir tão bem, e nada ia me impedir.

A história que me levou até a leitura desse livro chega a ser engraçada: passei três anos, TRÊS, procurando o livro em toda e qualquer livraria que eu fosse. Cheguei até a compra-lo pela internet mas nunca foi entregue em minha casa. Eis que em minha primeira semana se trabalho... Lá estava ele. O último exemplar da unidade. Apenas me esperando! E foi o primeiro livro que comprei com meu primeiro salário.

Agora vamos para a parte que interessa: Pamela des Barres foi uma adolescente como qualquer outra - conhecia garotos normais, namorava garotos normais e vivia entre os garotos normais, até uma certa manhã de julho dos anos 60. Pela janela de seu quarto, Pamela ouviu os primeiros acordes de uma guitarra e desde então os garotos normais já não eram o suficiente para ela.
Ainda adolescente, se apaixonou e ''desapaixonou'' pelos Beatles, mais especificamente por Paul McCartney, a quem escreveu dezenas de poemas e bilhetes de amor que nunca foram entregues. Pamela morava próxima ao lugar onde o rock'n'roll acontecia -  Sunset Boulevard, ou apenas ''Sunset Strip'' - o que permitiu seu ingresso no mundo dos palcos, backstages e after-parties.

Formou uma banda apenas de garotas - as GTO's- produzida por ninguém menos que Frank Zappa, se tornou amiga dos maiores rockstar's de sua época, namorou Jimmy Page, fez turnê com Led Zeppelin, enrolou Mick Jagger... Pamela soube viver o auge dos anos 70 e em meio a tudo isso, conheceu seu atual marido (que estava bem longe dos palcos), a quem dedica a biografia "Ao meu marido, Michael Des Barres, que me ama por quem eu sou e por quem eu fui.'' e conta tudo isso para nós em I'm with the band - Confissões de uma Groupie''.


No cinema, a personagem Penny Lane de Almost Famous, interpretada por Kate Hudson, foi livremente inspirada em Pamela.


Infos:
Título Original: I'm with the band.
Autor: DES BARRES, Pamela.
Editora: Barracuda
ISBN: 8598490105
271 páginas

26 de março de 2013

[Resenha] Charlotte Street - Danny Wallace.

Tudo começa com uma garota... (Porque, sim, sempre há uma garota)

 Antes de qualquer coisa vou confessar: quando comprei o livro e li as primeiras páginas eu logo imaginei que havia feito a pior burrada da vida comprando esse livro. A chamada de capa (e a própria capa!) me fizeram acreditar que era só mais um romance água com açúcar com alguma morte e todos felizes no final. Mas, para minha surpresa e alegria, esse se tornou um dos livros mais legais que já li.

Tudo começa no local que dá nome a livro - Charlotte Street. Jason Priestley é ex-professor, jornalista (especificamente, um crítico-de-quase-tudo) e acabou de descobrir que sua ex-noiva agora é a noiva de outra pessoa. Andando pela Charlotte Street, ajuda uma linda garota a entrar com suas dezenas de sacolas em um taxi, que vai embora deixando o ''mocinho'' com o coração apertado... e uma câmera descartável 35mm.

Munido apenas das fotos reveladas que estavam na câmera, Dev - o seu amigo nerd dono de uma loja de vídeo-games e um Nissan Cherry, ele parte em busca d'A Garota. Jason não sabe nada sobre ela, mas de algo tem certeza: precisa encontra-la, seja lá o que fosse dizer.

É, basicamente, uma história sobre amizade - e é isso que torna o livro tão fantástico. O que mais gostei foram as referências: até a banda The Kicks dá as caras na trama.

Nota: lendo a orelha do livro descobri um fato interessante - Danny Wallace, o autor, também escreveu o livro Yes Man, adaptado para o cinema com Zooey Deschanel e Jim Carrey.

Infos:
Título Original: Charlotte Street
Autor: WALLACE, Danny
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581630038
400 páginas


25 de março de 2013

Oi!

Eu não sou boa com apresentações e, confesso, ainda não me sinto segura pra publicar as bobagens que escrevo, mas vamos lá!

Desde sempre gosto dos livros. Não consigo me recordar qual foi e quando li meu primeiro livro, tenho a sensação de que já nasci lendo. Mal acabo de ler um, e já estou começando o outro. Sempre foi assim, e creio que continuará sendo.
O caso se agravou quando comecei a trabalhar em uma livraria. Não é fácil passar o dia todo em meio a eles e não sentir vontade de comprar pelo menos 5 por dia - deixando meu salário todo lá.

Alguns livros são tão bons e lindos e ah! Eu simplesmente não posso guardar só pra mim (embora sinta muito ciúmes de alguns), e é por isso que hoje começo esse blog: pra falar dos melhores (e por que não, dos piores?) livros que já passaram pelas minhas mãos.